REFLEXÕES SOBRE A VARIAÇÃO DO /S/ EM CODA SILÁBICA NO FALAR AMAZONENSE: A HIPÓTESE DE UMA ISÓFONA

  • Edson Galvão Maia IFAM
  • Flávia Santos Martins UFAM
  • Maria Luíza de Carvalho Cruz-Cardoso UFAM

Resumo

Nesta pesquisa refletiu-se sobre os resultados dos trabalhos realizados no Amazonas a respeito do /S/ em coda silábica, à luz da hipótese levantada por Cruz (2004) de que pode haver uma isófona dividindo o Estado, considerando que em pesquisas dialetológicas já realizadas no Amazonas,  foram encontrados aspectos linguísticos diferenciados entre os falares dos rios Negro/ Amazonas e Solimões.


ABSTRACT: In this research, the results of the work carried out in the Amazon region regarding the /S/ in the syllabic coda were considered in the light of the hypothesis raised by Cruz (2004), That is, an isophone may exist dividing the State, considering that, in research already Carried out in Amazonas, linguistic differences were found between the Negro / Amazonas and Solimões rivers.


KEYWORDS: Pluridimensional Dialecology; Sociolinguístics; /S/ post-vowel.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Amazonas. Doutorando em Estudos da Linguagem na Universidade Estadual de Londrina. galvaoedson@hotmail.com

##submission.authorWithAffiliation##

Universidade Federal do Amazonas. Doutora em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina. flavinhaingrid@yahoo.com.br

##submission.authorWithAffiliation##

Universidade Federal do Amazonas. Doutora em Letras Vernáculas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. luizacr@uol.com.br

Publicado
2017-10-17
Como Citar
MAIA, Edson Galvão; MARTINS, Flávia Santos; CRUZ-CARDOSO, Maria Luíza de Carvalho. REFLEXÕES SOBRE A VARIAÇÃO DO /S/ EM CODA SILÁBICA NO FALAR AMAZONENSE: A HIPÓTESE DE UMA ISÓFONA. Web Revista SOCIODIALETO, [S.l.], v. 7, n. 20, p. 479 – 502, out. 2017. ISSN 2178-1486. Disponível em: <http://sociodialeto.ojs.galoa.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/28>. Acesso em: 17 nov. 2017.